A Filosofia Clínica e minhas Transformações

A Filosofia Clínica e minhas Transformações

Sou professor titular de Filosofia Clínica no Centro de Boa Vista-RR. Minha formação em Filosofia Clínica foi marcada por muitas quebras de paradigmas quanto aos muitos conceitos e pré-juízos formados ao longo da vida. No início muitas resistências para entender todas aquelas novidades lançadas por Lúcio Packter, ainda nos anos de 1996 a 1998.

Não era fácil compreender que tínhamos uma nova concepção para entender as pessoas, que já não precisavam ser rotuladas ou presas em teorias preconcebidas e que suas questões existenciais poderiam ser abordadas por uma perspectiva dos exames categoriais para situam a pessoal no seu contexto e pela estrutura de pensamento.

No campo pessoal a Filosofia Clínica provocou uma revolução interior no sentido de ajudar a reorganizar a estrutura de pensamento, que antes estava muito confusa diante de muitos problemas existências. Conseguir reorientar minha vida para vivenciar as coisas mais belas do meu existir. Assim, compreendi o quanto é importante olhar para o outro com mais humanismo, contribuindo sempre quando for possível, para que as pessoas a quem me procure sintam-se bem.

Esse é uma breve contribuição de quem se sentiu tocado pelos conhecimentos da Filosofia Clínica.

Paulo Sérgio Rodrigues da Silva – Boa Vista/Roraima

Facebook
Instagram
WhatsApp chat